terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

untitled

Hoje em dia, não há perspectiva correta, não há certeza, não há futuro.

Planejar é arriscar, sonhar e se machucar.
Eu odeio essa minha mania de aliteração e rima, mas não é de propósito, eu juro.

A verdade é que eu não to inspirado, só precisando descarregar mesmo. 'Viva cada dia intensamente como se fosse o último'.

to hell with it

Não há o que mais me irrite do que esses ditadinhos e tentativas frustradas de motivar felicidade, e perguntas retóricas, isso me irrita mais ainda.

Me irrita a mentira, me irrita a omissão, me irrita o descaso, me irrita o pouco caso.

E, com toda a certeza, me irrita a infelicidade, a infelicidade que contagia, irradia e gangrena de maneira incurável e cada vez mais penetrante. É tão dificil conseguir sorrir por completo e tão mais facil perder esse sorriso e nunca mais recuperá-lo.

A gente anda por aí com nossos sorrisos e motivações falsas que nos fazem acreditar que vai tudo melhor, que basta acreditar. Energias positivas, né?

bullshit.

Não sei mais se acredito na felicidade, não sei mais se acredito nas pessoas, tenho certeza que não acredito mais em mim mesmo, ou no futuro, ou em planos.

Na real? sou a pessoa mais simples do planeta, quem tem problema em me entender é porque não consegue entender a si mesmo, ou continua se enganando.

A gente sempre vai correr atrás do que nos faz mal

aceitar isso agora pode entorpecer no futuro.

Mas como meu coração podre sempre diz, 'a dor é inevitável, o sofrimento é opcional'

O post não fez sentido pra ninguem além de mim, por favor não comentem para mim isso na minha vida real, se eu quisesse falar disso fora da internet, eu teria falado.




Os: I'm not heartbroken, i'm brain damaged

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Poetas.

Odeio poesia.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Ah... logo percebi.

Eramos vizinhos. Olhei sacada abaixo e lá estava você, esperando por mim.

- Sobe! - Eu disse.

Não houve resposta, só movimento e um toque sutil na campainha, logo depois. E uma tarde mais do que agradável, uma tarde simples, e feliz. Simplesmente feliz.
Reza a lenda que havia uma rede, e um vento incomum, suave, confortável. Parece que foi ontem.

*É hora de acordar, são seis-e-trinta-e-cinco*

A vida real tende a chamar quando os sonhos se tornam bons demais, é nosso inconsciente dizendo que é melhor não ver o melhor da vida quando você sabe que ele não vai existir. Ou voltar.


Levantei da cama, meio grogue, com as imagens na cabeça, meu pai abre a porta e fala: - Acordou, boy?

Não respondo, mas revejo a felicidade na cabeça e indago: -Ah, logo percebi.

E passo o resto do dia tentando dormir e voltar.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Aquela sensação

Você abre os olhos, mas na verdade você não vê.
Ela está lá, dentro de você, te faz sofrer, te incomoda.

Respirar fica difícil quando você não consegue tirá-la da cabeça.
As pessoas falam com você, mas entra por um ouvido e sai pelo outro,
ela continua lá, na sua cabeça, e você faz de tudo pra tentar fugir, -quero voltar a dormir.

Fácil fechar os olhos, dificil voltar a sonolencia.
A boca seca, e dentro da sua cabeça só ela, você sabe que eventualmente vai passar
mas não sofrer parece uma opção indisponivel atrás das portas da realidade agora.

E assim o dia prossegue, até que em algum momento, a ressaca começa a ir embora devagar, e você consegue respirar denovo.



A vida é complicada.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Nunca vai mudar.

O truque é continuar acreditando e esperar o 'i told you so'.


Uma hora ou outra acaba acontecendo.


Manter em mente: Não mude por ninguem, ninguem vai mudar por você.




And it's all just the same at the end of the day.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Just about a month ago.

Foi-se o tempo onde o bem-estar era estar bem.

Não faz muito sentido responder "Não" a um "tudo bem?"

Afinal, refletindo...

- Olá, tudo bem?

- ...hm vejamos: Minha saúde está boa, não estou com problemas financeiros, o trabalho está cada vez mais promissor, estou em um relacionamento estável e minha familia está em completa harmonia, é, não tá tudo bem não.


Parece hipocrisia, coisa de gente mal-agradecida que parece criar problema quando não se tem.

Mas existe algo que vai além do palpável, do comunicável, intangivel e indelevel, é aquele sentimento inexplicavel, que o mais próximo que você consegue chegar do descritível é VAZIO.

Vazio esse que vai aumentando enquanto a gente vai procrastinando algo que não sabemos realmente o que é, mas ele continua aumentando. E quando você acha que conseguiu achar uma maneira de preenche-lo, ele já se tornou grande demais e o espaço ocupado é como tapar o sol com a peneira, não vai deixar de queimar, a diferença é que a dor é mais específica, ou quem sabe mais lenta, o que não ajuda muito também.


e com esse post eu continuo a minha série de sentimentos reprimidos expostos em momentos de troca-de-lua.

sábado, 20 de dezembro de 2008

três meses

ah ah ah ah ah lá vem você me ligando denovo...

;~~~~


saco, saco saco

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Sobre a dor da saudade.

A palavra excruciante é um exagêro, e por ser um exagero, é que o sentido é nela inserido. Ao ler essa palavra eu não descrevo uma sensação, eu revivo.

Reviver momentos são prazerosos e sofridos ao mesmo tempo.

A consciência de um passado bom que não volta mais é a pior das dores. É maior do que a dor da perda, é a dor da impossibilidade, da fraqueza do imutável, do que os olhos viram e agora se fecham para não abrir mais.

A saudade pode ser saudável, apesar das palavras não estarem relacionadas, pra mim, elas sempre foram provas vivas da humanidade dentro de mim, e agora no português elas tomam caminho juntas também, pelo menos no meu português.


Em toda situação da vida, alguem nos diz que a gente uma hora vai olhar pra trás e rir de tudo, como experiência passada.


Eu me pergunto quando essa hora vai chegar.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

The best thing is to let go

Existe vida sem você, e como é bela, como é bela.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Quando nem as palavras conseguem dizer o que eu quero.

Eu costumo dizer que me expresso melhor por palavras escritas do que as ditas.

Ultimamente, não sei se isso é bem verdade. Não que as ditas tenham mais expressividade, compreensão e fluência. Só acho que, ultimamente, não são mais as palavras que falam por mim, se é que um dia foram.

O corpo fala, e por mais que a gente tente, esconder isso é complicado. Não dá pra esconder o olhar distante, não dá pra ficar sempre falante e toda hora brilhar (E não foi a intenção rimar).

Eu me deparo com problemas criados para serem problemas, problemas criados para dar motivo a falta deles, para dar motivo a falta de emoção, ou simplesmente para dar motivo à falta; ou quem sabe motivar a falta, talvez seja esse o motivo que falta. Compliquei.

E eu complico porque é isso que eu faço, é disso que eu gosto, é tudo o que eu não quero, mas é tudo que eu preciso.

Ajuda, quem precisa de ajuda?
Se a gente não consegue achá-la no conforto das palavras, com certeza a unica solução é o que faz existir o problema em primeiro lugar.

Não há como fugir, se há, eu ainda não descobri.




Ao som de Such Great Heights com iron and wine.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Sob o mar verde de nuvens toscas.

Sabe quando você tá pensando em ir, ai vê a foto do mar verde, e pensa duas vezes, pq afinal, o mar tem que ser azul, e se na foto ele não é azul, imagina só pessoalmente.

Então, deixando todos os critérios de lado, você vai.

O primeiro toque na água, é como se você estivesse asfixiado por toda sua vida e só agora descobriu como é respirar de verdade, o vento é diferente, ele tem um cheiro diferente, forte.

O sol brilha tão forte que mesmo que houvessem nuvens no céu, a resplandecência seria a mesma.

Ao que navega feliz em direção ao sol, ele parece estar fugindo cada vez mais de você, com medo talvez, você pensa. Na verdade o tempo passou rápido; - É hora de ir embora.

Você então volta pra casa, se lembra daquele momento único, um dos melhores da sua vida.

E por fim descobre que no fim do dia foi tirada uma foto. E o mar estava verde, e o sol não brilhava tão forte, e as nuvens estavam lá.

E a felicidade vai embora, o sorriso se deforma, as historias perdem hora.

Antes de dormir, agoniado, você reflete que tudo o que o seu coração mais quer, é voltar àquele mar, mesmo que em consciência você saiba que estará fazendo bobagem.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

secondhand serenade - it's not over

My tears run down like razorblades
And no, I'm not the one to blame
It's you ' or is it me?
And all the words we never say
Come out and now we're all ashamed
And there's no sense in playing games
When you've done all you can do

But now it's over, it's over, why is it over?
We had the chance to make it
Now it's over, it's over, it can't be over
I wish that I could take it back
But it's over

I lose myself in all these fights
I lose my sense of wrong and right
I cry, I cry
It's shaking from the pain that's in my head
I just wanna crawl into my bed
And throw away the life I led
But I won't let it die, but I won't let it die

But now it's over, it's over, why is it over?
We had the chance to make it
Now it's over, it's over, it can't be over
I wish that I could take it back

I'm falling apart, I'm falling apart
Don't say this won't last forever
You're breaking my heart, you're breaking my heart
Don't tell me that we will never be together
We could be, over and over
We could be, forever

I'm falling apart, I'm falling apart
Don't say this won't last forever
You're breaking my heart, you're breaking my heart
Don't tell me that we will never be together
We could be, over and over
We could be, forever

It's not over, it's not over, it's never over
Unless you let it take you
It's not over, it's not over, it's not over
Unless you let it break you
It's not over

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Quando o meu hoje te encontrar amanhã.

As estações serão diferentes, assim como as pessoas, o tempo e, principalmente, você.

Você vai estar com olhos mais distantes, desconfiados e vividos.
Você vai sorrir por fora e quem sabe me dar um abraço.

As perguntas estarão cada vez mais longe do que um dia foram tão pessoais.
As palavras vão sair cada vez mais dificeis, forçando ao apelo da indiferença.

E quanto a mim, eu serei a mesma pessoa, a mesma pessoa que hoje é assim, te olhando com os mesmos olhos de quando te conheci, com os mesmos olhos de quem estivesse vendo um anjo pela primeira vez.

E talvez estivesse, mas sem aceitar a negação do inconsciente, de que anjos não existem, e mudar é inevitável, mas eu ainda sou o mesmo, quem pode evitar?

domingo, 2 de novembro de 2008

O Acerto é passageiro.

Mas o erro é eterno.

E não importa o quanto você acerte, são seus erros que vão te definir.

Todo mundo gostaria de poder voltar atrás e fazer as coisas diferente, arrependimento é consciência, consciência é reflexão e, se você reflete em algo, e percebe que errou, sabe que errou, sabe onde errou, a tendência é não fazer denovo, até que algo novamente abala as estruturas, e o que era lógico e racional, se distorce em meio às emoções.

Óculos da realidade, né. Não deixar abalar o cotidiano, é uma coisa difícil olhar pra frente quando o seu cérebro fica lá pra trás, é dificil levantar a cabeça quando se quer andar de olhos fechados.

E se the o.c me ensinou alguma coisa, é que não dá pra mudar o que você fez, porém, você pode tentar ser uma pessoa melhor e, com os erros do passado, poder acertar no futuro.

O que você faz define quem você é, e nesse exato momento, eu sou uma lágrima tentando não se perder em um mar de falsas canções.

domingo, 19 de outubro de 2008

Sete meses sem você

quando a gente percebe que o melhor da vida, a melhor parte da gente se foi, como fas :~?
não fas.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Abandono, eu ainda estou aqui.

Eu sempre fui um cara de muitos amigos, amigos mesmo, daqueles os quais eu posso confiar, falar tudo e sei lá, conversar sobre a vida. Mas como eu falei, amigos, no masculino.

Então, eu entrei na faculdade, fiz muitos outros amigos, amigas também, e a vida seguia feliz, assim achava eu.

E quando você conhece muitas pessoas, você sabe que, uma hora ou outra, a farra acaba. Não dá para andar em bandos, não somos aves. Então eu estava lá com meu grupo seleto de amigos e amigas, até que uma se tornou especial demais, em tempo de menos.

A gente não partilhava tanto dos mesmos gostos, nem tinhamos tanto em comúm, mas sei lá, acho que teve uma conexão, fraternal, talvez, não sei. A verdade é que a gente começou a fazer educação física junto, e a hora da ed. Física então, virou a nossa hora.

E acreditem ou não, acho que foi aí que eu vi a maior amizade da minha vida crescer, ou pelo menos eu achava. Naquela época, eu realmente acreditava que não conseguiria viver sem alguém, no caso, sem ela. Obviamente que eu não consigo viver sem minha mãe etc e tal, mas isso todo mundo sabe sobre mim, enfim.

E a gente conversava por horas e tudo mais, era mágico, sei lá. Foi a primeira pessoa em que eu cheguei a chamar de "Melhor amiga" pois como eu disse, eu sou uma pessoa de muitos amigos, todos especiais e amados, mas é dificil mensurar uma amizade. Porém, com ela não era.


Assim passaram-se os meses e, consequentemente, o ano, um ano e meio. Até que certa vez parei pra reparar, e senti que as coisas mudam. As coisas mudam, as pessoas mudam e simplesmente acabam. A gente nessa época ainda tava na mesma sala, mas ela já não era mais a mesma, pelo menos não comigo ou whatever. Ela sempre foi a pessoa que todo mundo gosta, que sorri e brilha pra quem quer que seja, e eu gostava disso, contanto que ela continuasse brilhando pra mim, i guess. E assim eu percebi que isso já não ocorria mais e a gente estava se afastando, na época eu não sei porque não liguei, acho que eu considerei algo normal, ou nunca considerei o tamanho dessa mudança, ou talvez nunca parei pra refletir de verdade o quanto isso iria me afetar futuramente, pois eu não achei que iria, eu acho.



Hoje, ela está lá e eu estou aqui. Se em nossos encontros, mais de 10 palavras forem ditas, digo que é uma evolução. A encontro no corredor, ela diz: "Oi gente" dá beijo e sorri pra todo mundo, e inventa algo que a faz ir embora rapidamente, afinal, ela também sabe que é constrangedor ficar em um ambiente que já não é mais familiar e os assuntos não coincidem.


Acho que na hora, no momento, eu tenho muito na minha mente pra poder parar e refletir na questão toda, dela ter se afastado, das coisas terem mudado e tudo mais, então por isso, acho que na hora eu não ligo.


Aí então eu chego em casa, e simplesmente um click, uma foto antiga nossa que eu vejo, faz meu humor cair de ótimo, pra horrível. E eu paro e me pergunto, será que sou só eu que sinto isso? Será que a pessoa que um dia me apresentou para outras pessoas como o seu melhor amigo, não sente a mesma coisa do que eu?

Eu acho que, infelizmente, eu sempre fui só alguem pra suprir as necessidades, ouvir as mágoas e abraçar quando ela precisou. Então, quando outra pessoa que fizesse a mesma coisa aparecesse, e lhe fosse mais conveniente, a troca seria feita na hora. E assim foi.

E sei lá, eu tenho tanta mágoa em relação a isso e simplesmente não consigo falar, não falar faz mal, falar também, e o que fazer? Não sei.

Eu sei que se eu falar isso tudo, não vai mudar. Nunca mais vai ser o que era antes, eu não espero isso, eu não quero isso, eu posso viver sem ela, obviamente, faz muito tempo que eu sei disso.

Mas eu queria saber se tem uma maneira, algo que eu posso fazer, de não me sentir mal toda maldita vez em que eu vejo uma foto antiga ou ouço uma música que me lembra ela, porque pra ela eu posso ser mais um amigo que ficou pra trás, mas pra mim, ela sempre vai ser a melhor amiga que me abandonou sem dizer tchau.



;~

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Afinal, o que é um relacionamento?

É aquela coisa onde é acordado entre as duas pessoas, que a partir deste exato momento, eles estão ligados por uma força maior, o comprometimento, a palavra sagrada, a aliança da verdade?

O que é traição?

É estar namorando e beijar/fazer sexo com outra pessoa? se não namora, não há traição?

Desejo é normal, se sentir atraido por outras pessoas também. Flerte é algo comum, todo mundo precisa de uma dose a mais de ego pra ser feliz.


Para mim, relacionamento é quando duas pessoas se gostam e querem ficar juntas, fim de papo. As vezes não precisa ser dito isso para ficar claro.

Traição nesse caso não existe, afinal, não há comprometimento.

Mas a verdade é que dói mesmo assim.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Tear -c tac.

A sensatez é, sem sombra de dúvida, tudo que há de oposto à emoção.

Não dá pra ser sensato no amor, dá pra entender, mas desde quando as pessoas agem com a cabeça?
Que diabos, amor é um sentimento. A gente não pensa, a gente sente. E quando a gente não pensa, acho que a gente esquece que os outros sentem, ou esquece o que os outros sentem, porque os outros sentem. O excesso de sensatez leva a uma discrepância ao amor, ao sentir, isso é o primeiro passo para a perdição.


Eu to perdido.

domingo, 24 de agosto de 2008

Um calendário depressivo.

É o que esse blog é, pelo menos pra mim. Porque incrivelmente eu só escrevo aqui quando eu me fodo, quando eu perco, quando eu to mal, pelo menos ultimamente.

Avaliar e saber determinar prioridades é o primeiro passo para ser uma grande pessoa e dar certo na vida, então eu digo vêemente que é por isso que eu me acho tão pequeno nesse mundo de titãs, mesmo sabendo que eu sou bom em certas coisas. Não adianta ser bom se você não sabe dar prioridade, se não for constante, estável.


Eu sou uma pessoa instavel e não sei priorizar o que deve ser priorizado. Sentimental, coração fraco, quase parando e ao mesmo tempo batendo tão forte que eu consigo ouvi-lo palpitando no meu pescoço a cada respiração minha.


E aí eu começo a me perguntar como seria uma vida sem mim...

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Tá tudo tão errado.

De fato.

Em poucas semanas a vida deu umas guinadas que eu nunca imaginei que aconteceriam. But again, a gente nunca acha que nada vai acontecer e sempre acontece, ou sei lá.

Eu queria ser mais estável em relação ao que eu sinto, e talvez mais racional. Além de eu sentir demais, eu acabo fazendo e falando coisas que me arrependo extremamente após ter feito/falado em momentos de emoção, raiva, sei lá.

BUT AGAIN², eu queria tanta coisa.



Só queria que tudo estivesse bem, mas a verdade é que nunca vai estar.



Nem sei.