terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

untitled

Hoje em dia, não há perspectiva correta, não há certeza, não há futuro.

Planejar é arriscar, sonhar e se machucar.
Eu odeio essa minha mania de aliteração e rima, mas não é de propósito, eu juro.

A verdade é que eu não to inspirado, só precisando descarregar mesmo. 'Viva cada dia intensamente como se fosse o último'.

to hell with it

Não há o que mais me irrite do que esses ditadinhos e tentativas frustradas de motivar felicidade, e perguntas retóricas, isso me irrita mais ainda.

Me irrita a mentira, me irrita a omissão, me irrita o descaso, me irrita o pouco caso.

E, com toda a certeza, me irrita a infelicidade, a infelicidade que contagia, irradia e gangrena de maneira incurável e cada vez mais penetrante. É tão dificil conseguir sorrir por completo e tão mais facil perder esse sorriso e nunca mais recuperá-lo.

A gente anda por aí com nossos sorrisos e motivações falsas que nos fazem acreditar que vai tudo melhor, que basta acreditar. Energias positivas, né?

bullshit.

Não sei mais se acredito na felicidade, não sei mais se acredito nas pessoas, tenho certeza que não acredito mais em mim mesmo, ou no futuro, ou em planos.

Na real? sou a pessoa mais simples do planeta, quem tem problema em me entender é porque não consegue entender a si mesmo, ou continua se enganando.

A gente sempre vai correr atrás do que nos faz mal

aceitar isso agora pode entorpecer no futuro.

Mas como meu coração podre sempre diz, 'a dor é inevitável, o sofrimento é opcional'

O post não fez sentido pra ninguem além de mim, por favor não comentem para mim isso na minha vida real, se eu quisesse falar disso fora da internet, eu teria falado.




Os: I'm not heartbroken, i'm brain damaged

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Poetas.

Odeio poesia.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Ah... logo percebi.

Eramos vizinhos. Olhei sacada abaixo e lá estava você, esperando por mim.

- Sobe! - Eu disse.

Não houve resposta, só movimento e um toque sutil na campainha, logo depois. E uma tarde mais do que agradável, uma tarde simples, e feliz. Simplesmente feliz.
Reza a lenda que havia uma rede, e um vento incomum, suave, confortável. Parece que foi ontem.

*É hora de acordar, são seis-e-trinta-e-cinco*

A vida real tende a chamar quando os sonhos se tornam bons demais, é nosso inconsciente dizendo que é melhor não ver o melhor da vida quando você sabe que ele não vai existir. Ou voltar.


Levantei da cama, meio grogue, com as imagens na cabeça, meu pai abre a porta e fala: - Acordou, boy?

Não respondo, mas revejo a felicidade na cabeça e indago: -Ah, logo percebi.

E passo o resto do dia tentando dormir e voltar.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Aquela sensação

Você abre os olhos, mas na verdade você não vê.
Ela está lá, dentro de você, te faz sofrer, te incomoda.

Respirar fica difícil quando você não consegue tirá-la da cabeça.
As pessoas falam com você, mas entra por um ouvido e sai pelo outro,
ela continua lá, na sua cabeça, e você faz de tudo pra tentar fugir, -quero voltar a dormir.

Fácil fechar os olhos, dificil voltar a sonolencia.
A boca seca, e dentro da sua cabeça só ela, você sabe que eventualmente vai passar
mas não sofrer parece uma opção indisponivel atrás das portas da realidade agora.

E assim o dia prossegue, até que em algum momento, a ressaca começa a ir embora devagar, e você consegue respirar denovo.



A vida é complicada.