domingo, 19 de outubro de 2008

Sete meses sem você

quando a gente percebe que o melhor da vida, a melhor parte da gente se foi, como fas :~?
não fas.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Abandono, eu ainda estou aqui.

Eu sempre fui um cara de muitos amigos, amigos mesmo, daqueles os quais eu posso confiar, falar tudo e sei lá, conversar sobre a vida. Mas como eu falei, amigos, no masculino.

Então, eu entrei na faculdade, fiz muitos outros amigos, amigas também, e a vida seguia feliz, assim achava eu.

E quando você conhece muitas pessoas, você sabe que, uma hora ou outra, a farra acaba. Não dá para andar em bandos, não somos aves. Então eu estava lá com meu grupo seleto de amigos e amigas, até que uma se tornou especial demais, em tempo de menos.

A gente não partilhava tanto dos mesmos gostos, nem tinhamos tanto em comúm, mas sei lá, acho que teve uma conexão, fraternal, talvez, não sei. A verdade é que a gente começou a fazer educação física junto, e a hora da ed. Física então, virou a nossa hora.

E acreditem ou não, acho que foi aí que eu vi a maior amizade da minha vida crescer, ou pelo menos eu achava. Naquela época, eu realmente acreditava que não conseguiria viver sem alguém, no caso, sem ela. Obviamente que eu não consigo viver sem minha mãe etc e tal, mas isso todo mundo sabe sobre mim, enfim.

E a gente conversava por horas e tudo mais, era mágico, sei lá. Foi a primeira pessoa em que eu cheguei a chamar de "Melhor amiga" pois como eu disse, eu sou uma pessoa de muitos amigos, todos especiais e amados, mas é dificil mensurar uma amizade. Porém, com ela não era.


Assim passaram-se os meses e, consequentemente, o ano, um ano e meio. Até que certa vez parei pra reparar, e senti que as coisas mudam. As coisas mudam, as pessoas mudam e simplesmente acabam. A gente nessa época ainda tava na mesma sala, mas ela já não era mais a mesma, pelo menos não comigo ou whatever. Ela sempre foi a pessoa que todo mundo gosta, que sorri e brilha pra quem quer que seja, e eu gostava disso, contanto que ela continuasse brilhando pra mim, i guess. E assim eu percebi que isso já não ocorria mais e a gente estava se afastando, na época eu não sei porque não liguei, acho que eu considerei algo normal, ou nunca considerei o tamanho dessa mudança, ou talvez nunca parei pra refletir de verdade o quanto isso iria me afetar futuramente, pois eu não achei que iria, eu acho.



Hoje, ela está lá e eu estou aqui. Se em nossos encontros, mais de 10 palavras forem ditas, digo que é uma evolução. A encontro no corredor, ela diz: "Oi gente" dá beijo e sorri pra todo mundo, e inventa algo que a faz ir embora rapidamente, afinal, ela também sabe que é constrangedor ficar em um ambiente que já não é mais familiar e os assuntos não coincidem.


Acho que na hora, no momento, eu tenho muito na minha mente pra poder parar e refletir na questão toda, dela ter se afastado, das coisas terem mudado e tudo mais, então por isso, acho que na hora eu não ligo.


Aí então eu chego em casa, e simplesmente um click, uma foto antiga nossa que eu vejo, faz meu humor cair de ótimo, pra horrível. E eu paro e me pergunto, será que sou só eu que sinto isso? Será que a pessoa que um dia me apresentou para outras pessoas como o seu melhor amigo, não sente a mesma coisa do que eu?

Eu acho que, infelizmente, eu sempre fui só alguem pra suprir as necessidades, ouvir as mágoas e abraçar quando ela precisou. Então, quando outra pessoa que fizesse a mesma coisa aparecesse, e lhe fosse mais conveniente, a troca seria feita na hora. E assim foi.

E sei lá, eu tenho tanta mágoa em relação a isso e simplesmente não consigo falar, não falar faz mal, falar também, e o que fazer? Não sei.

Eu sei que se eu falar isso tudo, não vai mudar. Nunca mais vai ser o que era antes, eu não espero isso, eu não quero isso, eu posso viver sem ela, obviamente, faz muito tempo que eu sei disso.

Mas eu queria saber se tem uma maneira, algo que eu posso fazer, de não me sentir mal toda maldita vez em que eu vejo uma foto antiga ou ouço uma música que me lembra ela, porque pra ela eu posso ser mais um amigo que ficou pra trás, mas pra mim, ela sempre vai ser a melhor amiga que me abandonou sem dizer tchau.



;~