terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Ah... logo percebi.

Eramos vizinhos. Olhei sacada abaixo e lá estava você, esperando por mim.

- Sobe! - Eu disse.

Não houve resposta, só movimento e um toque sutil na campainha, logo depois. E uma tarde mais do que agradável, uma tarde simples, e feliz. Simplesmente feliz.
Reza a lenda que havia uma rede, e um vento incomum, suave, confortável. Parece que foi ontem.

*É hora de acordar, são seis-e-trinta-e-cinco*

A vida real tende a chamar quando os sonhos se tornam bons demais, é nosso inconsciente dizendo que é melhor não ver o melhor da vida quando você sabe que ele não vai existir. Ou voltar.


Levantei da cama, meio grogue, com as imagens na cabeça, meu pai abre a porta e fala: - Acordou, boy?

Não respondo, mas revejo a felicidade na cabeça e indago: -Ah, logo percebi.

E passo o resto do dia tentando dormir e voltar.